Bojack Horseman

8 lições sobre a vida adulta que aprendemos com:

Com 6 temporadas, a comédia animada produzida pela Netflix e protagonizada por um cavalo antropomorfo de meia-idade se tornou um verdadeiro momento de meditação sobre a bagunça que é estar vivo.

Ao analisar os impulsos e traumas de cada personagem, Bojack Horseman serviu como um espelho das relações humanas e nos deu várias lições sobre a vida adulta.

Pensando nisso, reunimos os 8 aprendizados mais importantes que a série nos proporcionou. Vamos lá?

Ao longo da história, Bojack encontra várias pessoas especiais, porém, eventualmente elas encontram o próprio caminho

Várias pessoas importantes podem entrar na sua vida, mas nem sempre elas precisam ficar

A relação entre Todd e Bojack desmoronou ao longo da série, mas se reconstruiu de forma interessante e nos ensinou que mudanças podem ser boas

Amizades mudam e isso não é necessariamente ruim

Ao longo da série vemos Bojack ter comportamentos horríveis com as pessoas que amam e se importam com ele - e isso não é nada legal.

Comportamentos tóxicos precisam ser evitados

Amamos o Bojack, mas odiamos vê-lo não assumir os próprios erros. Até o momento que isso mudou, ainda bem.

Somos responsáveis pelas nossas escolhas

Carolyn sempre se preocupou com o Bojack e isso a deixava infeliz. Quando ela passou a pensar na própria felicidade, a personagem mudou completamente (e para melhor!)

Pensar em você não é egoísmo

Ao enfrentar vários problemas, Bojack percebe o quanto é importante estar perto de quem ele ama - e isso vale para todos nós, não é mesmo?

Ninguém vive feliz sozinho

Nem todo mundo toma decisões certas na vida, né? Quando isso acontece e sua ação pode ter machucado alguém, é necessário reconhecer o erro e se desculpar

Pedir desculpa é importante

Quando Bojack resolve buscar ajuda, vemos o personagem genuinamente feliz pela primeira vez na série! Isso mostra como é importante nos cuidarmos!

Cuidar da saúde mental é importante

VALEU, BOJACK!

E aí, o que acharam? 


texto: nicolle cabral
edição: vitor gomes